Do AM para FM, da FM para Internet, a nova era do rádio na convergência digital.

Por: Cleber Almeida




Segundo estudos publicados em 2013 pelo Conectmedia e desenvolvidos pela área de learning& insights do IBOPE Media, 56% da população brasileira utiliza internet, número considerável que representa 115% de aumento desde 2003. Este constante crescimento colocou a internet como segundo maior veículo de comunicação mais usado no Brasil com 12% de preferência, atrás apenas da TV aberta que representa 78% de interesse. Além disso, em dezembro de 2013, conforme informações da comScore, o Brasil assumiu a quinta posição no ranking mundial em número de visitantes únicos, considerando apenas acessos via PC ou laptop.

O Brasil fechou 2013 com pouco mais de 271 milhões de linhas ativas na telefonia móvel, considerando a população brasileira com dados de 2012, somos 198 milhões de brasileiros, ou seja, grande parte da população possui mais de um celular. As conexões em banda larga móvel totalizaram 103,11 milhões de acessos, dos quais 1,31 milhões já são terminais com tecnologia 4G. Com base nestas informações é possível notar a importância que a internet e as tecnologias mobile representam para uma nova geração onde se fala muito em “convergência midiática”.

Os brasileiros estão cada vez mais conectados e passam em média sete horas online por dia, uma hora a mais que a média mundial. E onde o rádio entra nesta história? Hoje com adigitalização do rádio novas possibilidades estão se abrindo para o rádio convencional.As AMs estão migrando para o FM, as FMs estão com novas faixas e ambas estão na internet.

Hoje praticamente todas as emissoras de rádio que você procura no dial estão disponíveis para audição também na internet. Isso possibilitou que as emissoras pudessem expandir suas transmissões além de suas frequências, atingindo mais público e interagindo de forma instantânea com o ouvinte por meio de site e redes sociais. As tecnologias de internet estão ao nosso favor A internet não apenas conectou o mundo, mas também abriu portas para que novas mídias surgissem, redes sociais, vídeos produzidos e publicados pelo próprio usuário, canais de música, filmes etc.

O avanço tecnológico e de transmissão de dados possibilitou que tudo isso fosse possível de forma mais imediata. As diversas possibilidades permitiram que além da migração do rádio convencional para internet também fosse possível ramificar o veículo em milhares de segmentos exclusivos para web. As Web Rádios, como são conhecidas, são veículos de comunicação desenvolvidos com base no rádio tradicional porém, em plataforma web, ou seja, utilizam-se apenas dos recursos de internet para gerenciar conteúdo.

E é neste ponto que sempre coloco minha frase: “Quem descobrir como transformar a linguagem do rádio convencional dentro da internet para uma linguagem 100% de internet será o rei”. Creio que não basta apenas trazer o rádio para internet, ele precisar fazer parte integrante dela e oferecer meios que permitam uma interação cada vez mais imediata e inovadora por meio dele próprio utilizando-se dos recursos que as tecnologias web oferecem. Eis o principal motivo da criação do Encontro de Profissionais de Web Rádios Brasileiras que tem como objetivo analisar, entender e profissionalizar o setor de forma a inseri-lo cada vez mais ao mercado como veículo de massa em novas tecnologias. Para Rodrigo Garcia da Fabricahost Serviços de Internet e palestrante do evento, este será um marco na par ao desenvolvimento do veículo no Brasil: “Mudanças! Penso que esse mercado é muito promissor e requer a mesma mudança de conceitos e estratégias que o meio rádio teve anos atrás. Será um marco, um norte a seguir e que delimitará a forma como o Brasil deverá reagir e agir de agora em diante, quando pensarmos em internet, rádios, música e entretenimento”, disse.

O evento é uma realização da Na Mosca Produções Audiovisuais com o intuito de reunir profissionais para discutirem as possibilidades de crescimento do meio em diversos âmbitos como novas tecnologias de transmissão, mensuração de audiência, marketingonline entre outros assuntos que formatarão o futuro da mídia rádio online no Brasil. A primeira edição do EPWBR acontece em São Paulo nos dias 25 de julho das 19h às 22h e 26 de julho das 9h às 18h, recebendo palestrantes com grande experiência nas áreas de marketing, rádio e tecnologia de transmissão. As palestras abordarão os seguintes temas: Programação, plástica e qualidade de transmissão; Tecnologias disponíveis; Perspectivas de Futuro: FM x Web; Captação de recursos e Investimentos publicitários; Marketing online e rádio customizada; Audiência do Rádio na internet .

A expectativa para esta primeira edição é de receber 150 pessoas ligadas à área como profissionais do rádio em geral que buscam entender a inserção do veículo na internet como nova mídia, gestores de Web Rádios Profissionais, empresários interessados no desenvolvimento de parcerias e aqueles que realizam atividades de rádio, acadêmicos, estudantes e pesquisadores interessados em compreender a situação do setor no Brasil e no mundo, comunicadores em busca de informação qualificada relacionada à gestão da mídia rádio online e pessoas que desejem iniciar um projeto profissional de rádio online.

As inscrições são limitadas e custam R$ 60,00 para os dois dias. Para inscrever-se basta acessar o site do evento em http://www.epwbr.com.br Espero que esse seja o primeiro passo para que possamos tornar o rádio na internet um veículo promissor, moderno, de grandes investimentos pelo mercado publicitário e de grande valia ao serviço público como o bom rádio convencional.

Matéria publicada pela Revista Rádio & Negócios – Edição 14 – 2014 – Páginas 25 e 26

Apoiadores




Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.